FAMILIAS SEM-TETO FARÃO MANIFESTAÇÃO NA PORTA DO CDHU NESTA SEGUNDA

A partir das 10h00 desta segunda-feira, 9 de abril, as famílias sem-teto da Frente de Luta por Moradia estarão concentradas no Páteo do Colégio e em seguida sairão em caminhada para a porta do CDHU, na Rua Boa Vista para reivindicar os projetos paralizados da FLM, das regiões Leste, Sul e Centro da Cidade de São Paulo.

A manifestação tem o objetivo de buscar resposta para a situação as famílias que ficaram acampadas na avenida São João e foram levadas para o alojamento próximo à Gaviões da Fiel no início de fevereiro, também a abertura de dialogo quanto  aos

prédios ocupados ameaçados de reintegração.

Caso não obtenham resposta satisfatória na Secretaria de habitação as cerca de duas mil famílias seguirão para a porta da Prefeitura de São Paulo.

Coordenação Geral Osmar Borges: 8302-8197 ou 9516-0547

CARTA ABERTA

FLM – Frente de Luta por Moradia
Ao Secretário de Habitação do Estado de São Paulo
Agência Paulista de Habitação
Reinaldo Iapequino
Somos trabalhadores sem-teto e moradores do município de São Paulo. Os
baixos salários, o trabalho informal e o desemprego atingem nossas famílias
de modo violento e nos coloca sempre frente a um dilema: Se pagarmos
aluguel não comemos, e se comemos não conseguimos pagar
aluguel. O preço das locações é extorsivo e a atual política habitacional
não chega até nossas famílias – de renda até três salários mínimos. Em
geral, para ingressar em Programas Habitacionais é necessário ganhar mais
de quatro salários mínimos e comprovar renda, então somos excluídos de
morar dignamente, de proteger de modo decente nossas famílias.
Enquanto isso, milhares de moradias estão fechadas, inutilizadas. Prédios
e terrenos estão abandonados há vários anos. São verdadeiros focos de
disseminação de doenças. São milhões de pulgas, baratas, ratos, moscas
que dali saem para contaminar a cidade.
Entretanto, as autoridades nada fazem para combater esse câncer social e,
na absoluta maioria das vezes, o judiciário protege essas propriedades sem
função social e concede, de modo vergonhoso, a liminar de reintegração
de posse a seu injusto possuidor.
Por isso, nós da FLM – Frente de Luta por Moradia – estamos aqui, queremos
negociar projetos para famílias com renda de até três salários mínimos,
organizadas em nosso movimento. Não aceitamos a versão de que não
negociam com movimentos de luta, que devemos entrar na fila interminável
de demanda. Ora senhores, moradia é um Direito Constitucional e Humano.
Os senhores devem cumprir a lei: direito não tem fila. O direito se adquire
por meio da ação e por isso estamos agindo, para exigir nossas moradias.
Frente ao exposto acima, pleiteamos:
1. Agilidade na assinatura do projeto referente ao
empreendimento São Lucas (A), primeira geração do Gestão
Compartilhada assinado em 2008 que migrou para Minha Casa Minha
Vida.
2. Inicio imediato das obras dos empreendimentos destinados
ao atendimento das 840 famílias reintegradas na zona sul de são
Paulo, 580 famílias sendo atendidas com verba emergencial até
conclusão das obras ( Convenio entre CDHU e SEHAB);
3. Cumprimento do Termo de Acordo entre CDHU/SEHAB/
Ministério das Cidades e CEF, assinado em abril de 2010,
compromisso da CDHU para desapropriação de imóveis e terrenos
destinados ao atendimento de 830 famílias despejadas na zona leste
no ano de 2008 ( SEHAB, mantém 240 famílias em Aluguel Social até
a concretização do atendimento, Prestes Maia 911 e rua Mauá;
4. Andamento do processo de desapropriação do imóvel
localizado na avenida Prestes Maia, 911;
5. Disponibilidade de 2.000 Cartas de Crédito da Agencia
Paulista de Habitação para atendimentos das famílias que
estão cadastradas e vinculadas ao cumprimento do Termo de
Compromisso;
6. Disponibilidade de unidades de Carta de Crédito para famílias
atingidas pelas do Rodo Anel e obras para Copa de 2014.
7. Por determinação Judicial mais de 500 famílias estão
ameaçadas de despejo em prédios na região central, solicitamos a
inclusão desses imóveis para serem desapropriados e transformados
em moradia para as famílias que ali vivem mais de ano e dia.
9680.7409 ( Carmen) MSTC
6620.6470 ( Felicia) FOMMAESP
8272.5648 ( Antonia) MSTRU
7518.1992 (Eliete) MMJI
7656.2192 (Osmar) FLM
08.04.2012

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *